Akamu Makani

Akamu Makani signifca em hawaiano " Terra Vermelha dos Ventos"

Description:

Akamu Makani é de um tipo temperamental. Gosta que as coisas sejam feitas da forma que acha melhor e nunca confia em estranhos. Possui um senso de humor sarcástico, sendo que suas piadas, quando as faz, sempre são consideradas de mal gosto.

É impulsivo não somente quando esta em batalha, mas também em diálogos e abordagens mais pessoais.

Gosta do silencio. Quando não está escutando musicas tribais, solos de tambores de 30 minutos ou sua coleções de músicas indígenas, está meditando ou vendo filmes de ingmar bergman.

Quando conversa com estranhos, sempre aproxima-se mais do que o normal e encara os olhos das pessoas por mais tempo que elas gostariam.

75% do seu corpo é coberto de tatuagens feitas ao longo de seu aprendizado em sua tribo. Cada uma possui um significado especifico e suma importância para Akamu.

Quando adquire as formas mais próximas de seus ancestrais, algumas tatuagens permanecem, em especial o a lua crescente em suas costas.

Bio:

Inicio

Akamu provem de uma pequena vila no interior do estado do Havaí. Filho de indígenas, sempre teve um contato próximo de sua cultura, provindo dos polinésios.
Morou com sua família no condado de Kauai, a ultima ilha habitada do estado, até seus 19 anos.
A infância foi marcada pela distancia de tecnologia e cercado pela natureza. Quando jovem, começou a ajudar seu pai nas atividades de pesca e plantio no condado onde vivia.
Sua mãe cuidava das coisas da casa e mantinha sua fé no panteão havaino. Em especial no deus “pai céu” Ranginui.
Ao atingir 13 anos, começou a ser iniciado dentro dos rituais de sua família. Seu pai e sua mãe assim como a seita que seguiam, acreditavam que o espírito de Akamu, era possuidor de um enorme poder. Como se dentro de sua alma, residisse uma fera.
Akamu ainda muito novo e longe do contato com outras culturas, começou sua iniciação, com o objetivo de virar um guia espiritual. Era tratado de maneira diferente e os conhecimentos eram lhe passados em formas de antigos rituais. Cada conhecimento que adquiria era gravado em seu corpo em formas de antigos símbolos ritualísticos. Ao completar 17 anos, em suas costas é desenhado Ithaeuak, A Lua Crescente.

Outros Olhos

É nesse mesmo ano, que começou a sentir a influencia do mundo La fora. Sentia que algo lhe chamava. Abdicou de seus ensinos ritualísticos, para a tristeza de seus pais. Sentiu que sua vida sempre foi determinada por uma lenda. Mesmo sendo testemunha de feitos realmente prodigiosos, através de certos rituais, nunca entendeu o que realmente estaria dentro de seu espírito.
Em certa noite, sentado sobre as areias do mar, recebe a visita inesperada de um antigo ancião. A pele de seu rosto era caída, um ralo cabelo branco e comprido. Suas roupas pareciam feitas a mão, como os antigos ancestrais; falava baixo, mas sua voz era possuidora de grande energia.
Akamu nunca vira o velho antes, acreditou ser algum ermitão ou um andarilho noturno da região.
Porem as palavras que o ancião trazia consigo, eram carregadas de mistérios. Envolvendo o atual presente de Akamu, e designando um provável futuro. O dialogo traçado não demorou mais do que 30 minutos. O ancião ,que pedia para ser chamado de Ikaoki, deixou claro que;
_ “Para nos encontrarmos, é preciso seguir nosso coração através do sussurro do vento. Que nem o mar pode nos separar de nosso destino. Que Raginui possuía um destino singular para Akamu, e que logo lhe enviaria um sinal._” Akamu não precisaria preocupar-se.

Uma visita Oportuna

Nessa mesma semana, Akamu conhece uma turista, vinda de Sacramento, no estado da Califórnia. Seu nome era Naira Makawi mais velha que Akamu, descendente de índios mexicanos. A aproximação entre os dois foi muito rápida e os dois compartilhavam a história de seus antepassados.
Naira trouxe muitas coisas e informações do continente até Akamu, e o deixou a par de muitas coisas que envolviam a sociedade atual.
Akamu logo muda-se para Honolulu, maior cidade do estado, junto de Naira. Começa então a dedicar-se aos estudos e à história e os mistérios ocultos de seu povo, não deixando de praticar seus rituais. Juntos formam uma ONG prol a preservação do ambiente, ajudando condados atingidos por vulcões e lutando contra o continente de plástico que reside no giro do pacifico norte; Entre Havaí e Califórnia.
Logo após o seu aniversário de 19 anos, começa a ter alguns sonhos estranhos. Senti que algo lhe chama novamente. Como se em seu corpo pulsasse algo diferente de sangue, como se dentro dele, em suas veias, corresse magma.
Naira interpreta os sonhos de Akamu, e os dois decidem que está na hora de partir de Honolulu. Naira possuía família na Califórnia, e sua mãe havia adoecido recentemente. Juntos chegam a conclusão que os sinais indicavam uma direção; Cidade de Sacramento, California.

Novo Lar.

Juntos criam uma fundação em prol dos emigrantes latinos. E continuam com o projeto da ONG, que começa ter uma boa repercussão pelo estado. Paralelo a isso, Akamu começa lecionar aulas de história, e dar aulas particulares sobre a cultura Havaiana e Polinesia em geral para comunidade onde reside.
A mãe de Naira falece no ano que Akamu completa 22 anos. Naira a sepulta seguindo os antigos rituais de seu povo. Depois desse ocorrido, Naira dedica-se 100% aos planos da ONG e os dois se mudam para São Francisco.
Akamu começa a ajudá-la, e as motivações e planos ambientais, começam a interferir no interesse de grandes empresas. Junto com os imigrantes, começam a fazer protestos em diversas áreas no estado.

O retorno de Um velho Amigo
Em certa noite, Akamu caminhando pela orla do mar, encontra novamente o Velho ancião, Ikaoki.
O velho ancião estava parado olhando para o mar, com os mesmo trajes que aparecera da ultima vez em Kauai.
Akamu fica contente de encontrar o velho novamente, ao mesmo tempo assustado por só agora entender o que realmente Ikaoki era.
Ikaoki, dessa vez, veio com um alerta sobre o espírito que residia no interior de Akamu.
Era algo muito poderoso. Que em um momento ou outro, ele não poderia conter o despertar dessa energia, nem controlá-la. Sua percepção para o mundo iria mudar completamente, mas o universo cobrara o preço de enorme poder.
O ancião dessa vez desapareceu de súbito diante os olhos de Akamu.
Preocupado, retornou para sua casa a fim de meditar e contar para Naira sobre o ocorrido.
Juntos tentaram unir seus rituais conhecidos, para tentar prever e, entender mais a fundo o que estava dentro de Akamu, e o que poderia ser o velho.
Descobriram que Ikaoki poderia ser o guia espiritual e segundo as visões de Naira, o animal espiritual de Akamu ,seria um Cão selvagem, Um lobo.

Tempo

Dois anos passaram-se. Akamu ao voltar para sua casa percebe que há algo errado.
Logo que entra é rendido por dois homens encapuzados. Estavam armados com revolveres. Um deles acertou a cabeça de akamu com o cabo, é rendido e levado até seu quarto.
Akamu, pergunta onde está Naira, e os homens riem e o acertam novamente. Recobra a consciência alguns segundos depois quando é jogado no chão do seu quarto ao lado de Naira.
Os homens trancam a porta, e akamu fala com Naira. Naira esta sangrando. Acertaram-na com um tiro no peito. Mesmo tentando socorre-la, é tarde de mais. Naira falece em seus braços.
Após isso, Akamu fica imóvel, o sangue correndo mais rápido. Seus olhos se enchem de fúria e tristeza. Sem conseguir se controlar começa a chorar e rosnar. De súbito, de dentro de seu corpo sai um som, longo. Como um grito em forma de uivo.
Dois homens entram no quarto para ver o que estava acontecendo e deparam-se com Akamu, de joelhos com a cabeça no chão e as mãos segurando o rosto.
Um deles diz: Não adianta chorar, isso é o que da se meter onde não é chamado, ambientalista de merda.
Akamu então sente um chamado distante, lembra-se de coisas de seu passado, sente o universo se contorcer, e uma conexão com os primórdios da existência. Um vazio paira sobre sua consciência por alguns segundos, e pode escutar novamente as florestas e mares de sua ilha. A voz de Naira pela manhã. E as palavras do velho Ikaoki. Estes segundos lhe trazem uma contradição tão grande dentro de seu presente, onde tudo simplesmente esta sendo destruído que, com a maior fúria que pode evocar de dentro do seu ser, decidi também fazer parte dessa destruição.
Quando deu por si, estava arrancando a cabeça de um dos homens que estava em sua casa com suas mãos, que agora eram enormes garras. Seu presente se transformou em relances, e pode desfrutar do gosto daquelas pessoas em sua boca.

Fuga e Redenção

Akamu, pegou o corpo de Naira e o levou para o mais longe que pode. Akamu acordou nu sob uma arvore em um alto monte. O corpo de Naira estava ao lado de um grande buraco, que parecia ser uma cova feita pelas garras de um animal. Suas unhas estavam cheias de terra.
Akamu, a sepultou com decência seguindo o mesmo ritual utilizado em sua mãe. Ficou dias perdido nas montanhas.
Tentou procurar Ikaoki, e executar fortes rituais. Mas os espíritos nada tinham para lhe revelar naquele momento. Sentiu-se distante de tudo, na companhia somente da fera que vivia em seu interior.
Dentro destes dias, longe de sua terra e sem ter ninguém. As emoções que giravam dentro de seu corpo eram tão intensas que a transformação ocorreu mais duas vezes.
Aos poucos foi tentando entender o que teria acontecido, e que tipo de ser era ele.
Não podia ver-se, fazendo parte de um monstro. E decidiu entrar em jejum e meditação intensa, para tentar compreender a realidade atual que o cercava, e todas as coisas que tinham acontecido.

Akamu Makani

Temperance Dan_Devjacque