1ª Transformação - The Mirage/Las Vegas

15 de março de 2008, 17h 45min – Atravessando Deserto do Arizona

John: Las Vegas, esse ano a Feira vai ser em Las Vegas, que demais, ainda bem que resolvi ir 1 semana antes, assim consigo aproveitar um pouco os cassinos e tudo mais da cidade. – Pensa John enquanto atravessava o deserto do Arizona em seu Mustang 69 a caminho da cidade de Las Vegas.

Quando estava à cerca de 2 horas de viagem da cidade John reparou que correndo à beira da estrada vinham 6 coiotes, muito maiores do que coiotes normais, um deles parecia olhar diretamente para os olhos de John, que sentiu um calafrio, e acelerou o carro, deixando os animais para traz.

19 de março de 2008, 23h 13min – Cassino “The Mirage”

Garçom: Aceita mais alguma bebida senhor?

John: Com certeza, mais um whisky dublo e um charuto, não é sempre que a gente vem a Las Vegas e ganha não é meu amigo.

John nunca foi um exímio jogador, mas naquela noite a sorte parecia estar ao seu lado, talvez toda aquela história sobre sorte de principiante fosse verdade, afinal, em apenas 3 dias John já havia ganho cerca de U$ 200.000,00, e essa quantia continuava a subir.

20 de março de 2008 – 03h 33min – Cassino “The Mirage”

Segurança: Rapaz de chapéu e jaqueta de couro marrom fumando charuto na mesa 37 do poker. Aguardo confirmação.

Chefe Segurança: Ordem confirmada, podem chamá-lo para um conversa em particular.

John foi abordado por 2 seguranças enquanto jogava poker em uma das mesas e foi chamado para ter uma conversa em particular com o gerente do cassino. John não entendeu muito bem porque, mas foi mesmo assim, não sem antes lembrar de pegar todas as fichas que havia ganho. Essa noite ele havia entrado com 50 mil dólares no cassino, deixando outros 100 mil dentro de seu carro, não era um lugar muito seguro, mas era melhor do que acabar perdendo tudo jogado. O fato era que ele não perdia nunca, e seus 50 mil já havia se transformado em 150 mil.

20 de março de 2008 – 04h 26min – Cassino “The Mirage” – Sala da Gerência

Após esperar quase 1 hora na sala de segurança que só tinha uma única cadeira John já estava começando a ficar impaciente, até que 3 homens entraram pela porta.

Gerente: Vejo que temos um vencedor aqui. Dois dias seguidos no Cassino e você já ganhou quanto? 200, 300 mil? Sem falar no quando você ganhou no César’s Pallace outro dia também. Está fazendo um “tour” pelos Cassinos Senhor?

John: Tecnicamente sim, estou de férias essa semana e resolvi jogar um pouco, e tive sorte.

Gerente: Sorte, sim, alguns chamam assim. Da onde eu venho isso tem outro nome. Trapaça.

John: Hey, eu não estava roubando.

Gerente: Eu sei, alguém estava roubando para você, e você vai de dizer quem é.

John: Eu não se do que você…. – John é interrompido por uma forte batida atrás de sua cabeça de um dos homens que havia entrado na sala. John não tinha reparado, mas ele estava segurando um cassetete.

Gerente: É melhor você falar meu amigo, não queremos que você fique traumatizado de vir até nosso cassino.

John: Mas que merda, eu não se de nada disso!!!

Gerente: Parece que alguém está ficando nervoso. Tudo bem, eu sei do que você precisa.

O homem que estava falando com John saiu rapidamente pela porta e retornou com algo nas mãos que
John logo reconheceu, era uma daquelas armas de choque, e antes que John pudesse falar algo o homem deu um fortíssimo choque no pescoço de John, que caiu no chão tremendo.

Gerente: Levantem-no, joguem um balde de água fria para ele não desmaiar.

Assim que John conseguiu se sentar, e ia abrir a boca para falar o homem aplicou novamente o choque, dessa vez na língua de John.

Gerente: Você fala demais, mas não fala o que eu quero ouvir.

20 de março de 2008 – 05h 22min – Cassino “The Mirage” – Sala da Gerência

Gerente: Esse aqui é insistente.

John estava amarrado na cadeira, sangrando e muito machucado, com um ou dois ossos quebrados e diversas queimaduras que os homens o fizeram quando descobriram que John era de uma família de fazendeiros, exatamente como fazem para marcar bois.

John: Chega. Eu não sei de nada… – Mesmo sem forças John tentou se levantar, caindo no chão junto com a cadeira, escutando o riso dos 3 homens que estava na sala. Foi quando algo diferente aconteceu, uma enorme raiva veio dentro de si, incontrolável, ele fechou os olhos alguns instantes, como se fosse desmaiar, e viu a figura daquele grande coiote que fitava seus olhos quando ele chegava à cidade dias atrás. Seus olhos vermelhos o desafiavam.

Fora de si John arrebentou as cordas que o prendiam, levantou, e mesmo recebendo golpes dos três homens John conseguiu pular em cima de um deles, pegar a arma de choque e enfiar dentro da boca do homem, que caiu tremendo no chão.

O outro segurança tentou segurar John, mas logo se afastou ao ver que John começara a se transformar em algum tipo de estranho animal, grande e cheio de pelos, e foi em sua direção.
O homem tentou correr até a porta, mas John pulou em cima dele, tirando de suas mãos o ferro em brasa e o enterrando em sua cabeça. Só restavam John e o Gerente do Cassino na sala, que estava que estava encolhido no canto.

Gerente: Por favor, não.

John saltou em cima do homem e rasgou sua garganta com um simples golpe, e ele logo caiu no Cho tentando estancar, em vão, o sangue que escorria de seu pescoço. John também caiu exausto, e logo voltou a sua forma normal e recuperou sua consciência. Ele estava sem roupas e muito machucado, e precisava fugir, não havia tempo para entender o que acontecerá ali.

John tirou a roupa de um dos seguranças que ele matou, as chaves de seu carro e seus documentos e saiu pela porta, caminhando calmamente para tentar passar desapercebido. Ele estava nos fundos do Cassino, dali para o estacionamento era mais perto, e ele não iria precisar passar pelos salões de jogos.

John logo chegou ao estacionamento e foi em direção ao seu carro, e saiu rapidamente, nessa hora já era possível ouvir sons das sirenes de dentro do Cassino.

Sem saber muito bem o motivo John foi direto para o Deserto, como se fosse pagar o caminho de volta para sua casa, mas em certo ponto da estrada, cerca de duas horas de distância da cidade, John virou o carro e começou a entrar no deserto. Andou durante 30 minutos e estacionou o carro. Desceu, caiu no chão, vomitou e desmaiou ali mesmo nas areais do deserto do Arizona.

26 de março de 2008 – 19h 06min – Deserto do Arizona

Ned: Vejam. O rapaz está acordando.

John despertou com muitas dores no corpo, mas viu que seus ferimentos haviam sido bem cuidados e estavam melhorando, ele se lembrava de tudo o que havia acontecido, mas não conseguia entender como tudo havia acontecido.

John: Onde eu estou?

Ned: Bem vindo ao deserto do Arizona John. Meu nome é Ned, eu te encontrei caído em seu próprio vomito seis dias atrás, e você esta aqui desde então, dormindo. Seu carro esta ali fora, uma bela maquina.

John: Você dirigiu meu carro:

Ned: Hahaha, veja só, todo machucado e preocupado se alguém dirigiu seu belo carro. Não se preocupe, eu também sou mecânico, sei tratar desse tipo de maquina muito bem. Você consegue se levantar?

John fez algum esforço, mas só conseguiu ficar de pé com a ajuda de Ned, e ambos começaram a caminhar para fora da casa. Do lado de fora tudo John viu apenas seu carro, um poço de água, e um vasto deserto, o lugar assemelhava-se a um rancho, mas sem nenhum tipo de produção, logo apareceram mais 3 pessoas, 1 mulher e dois homens, acompanhados de um coiote que os seguia calmamente.

John: Eu já vi esse coiote. Na estrada. Ele estava me olhando.

Ned: Eu sei John, mas não era esse o coiote que estava te olhando, era eu quem o olhava John. Vamos nos sentar aqui na varanda um pouco e tomar alguma coisa.

E ali eles ficaram algum tempo conversando, Ned e os outros explicaram tudo o que John conseguia assimilar naqueles poucos momentos, e ao final, John foi chamado para se juntar à eles para iniciar seu treinamento. Quando John se transformou a meia lua estava no céu, ele era um Elodoth, e seria treinado como um Mestre do Ferro.

10 de Janeiro de 2010, 19h 22min – Deserto do Arizona

John estava mexendo em seu carro, o por do sol já estava no fim e o dia não fora tão quente quanto de costume. John evolui muito bem em seu treinamento, já havia até entrado para uma das facções de sua tribo, a mesma de Ned, a Casa do Metal.

Ned: John, venha cá, preciso falar com você.

John: Claro Ned. John saiu debaixo do carro e pegou um de seus charutos preferido dentro do porta luvas e foi até a varanda.

Ned: John, recebi uma mensagem de outros Urathas, chegou a hora de você formar sua própria

Alcatéia. Recebi essa mensagem de um membro de nossa facção, eu já o conheço de outros lugares, ele disse que precisa de ajuda em uma cidade não tão longe daqui, chamada Temperance, a cidade está com problemas e não existem mais Urathas lá, é nosso dever solucionar esse problema, e você deve ir para lá, lá será sua casa e será lá que você irá formar sua própria Alcatéia.

John: Certo, estou esperando por esse dia há algum tempo, você sabe. Obrigado Ned, amanhã mesmo eu vou partir.

Ned: Tenho algo para te dar, espere aqui.

Ned levantou-se de sua velha cadeira de balanço e foi até a parte de trás da casa, em uma velha garagem que ele havia construído a muito tempo, e lá ele pegou uma caixa de madeira, abriu, e tirou um revolver Magnum .44 de 6 tiros, cromado e com o cabo preto.

Ned: Aqui está John, não se engane, isso não é apenas um revolver, é um fetiche, e sei que você fara bom uso dele. Boa sorte amigo. Quando precisar, sabe onde nos encontrar.

John: Obrigado Ned.

No dia seguinte John se despediu de todos e partiu em seu Mustang 69 em direção à Temperance, na Califórnia.

1ª Transformação - The Mirage/Las Vegas

Temperance Jones